Histórico


    Votação
     Dê uma nota para meu blog


    Outros sites
     Jornal da Praça
     Preto & branco em cor
     Jornal apocalipse


     
     
    A Saideira


    Homenagem dA Saideira para o Dia das Mães

    A Débora (Aligieri) dirá que virá há 50 catástrofes o dia da mudança, mas pra não copiá-la direi que virá há 200 dias do calendário lunar, a morte de um governo que pra quem ainda não entendeu, está morrido. Enterrado. Debaixinho da terra, como todos os gritos que ousamos gritar (lá no nosso mais profundo “eu”, pois de lá, sabemos, não sobrou resto de grito algum) e engasgamos.

    É nisso que se resume nosso – brasileiro -  calor humano. Enquanto não paramos pra ler a notícia do jornal (deste, inclusive) pra entender por qual buraco o pepino entrou, qual turbina foi pro saco, quando índio deixou de ser índio e quando brasileiro deixou de ser português. Não descobrimos como alguém como o Sr. Retirante conseguiu virar um direitista sistemático no sentido de não ser mais ele, mas da turma, o sistema. E poxa, a gente já faz parte do século vinteum. Bem longe de 1984. Aqui a gente tem gente de olho. Olhos de verdade. Famintos por justiça. De fome. De proteínas, cálcio e você sabe o quê mais. Sim, a gente tem ficado mais do que de olho: a gente adora dar ouvidos. E palpites. Você, o cara que me deixou escrever isso, o coitado que até hoje tem seqüelas após a repressão dos anos sessenta, o biriba, a ambulante formal. Todos que pagamos o preço alto desse risco-país entre duas nações totalmente distintas (to falando do nosso país e o dos caras que vivem num braxil que a gente ainda não conhece) estamos de olho. E de orelha em pé. E cheio de cornos, pois sabemos, estão nos traindo. E também, estamos com a língua maior que a boca. Tamu dando palpite até no corte de cabelo do poddle da moça da revista. Mas os nossos dois olhos (pra quem tem os dois) estão de olho. Um na tevê pública, outro no cabo da tevê do vizinho. Quem tem só um, ta de olho também. Quem não tem, ta escutando (com meus sentimentos...em algumas horas era melhor ser surdo, inclusive). 

    Ai Rebecca, pegou pesado...mas assim, só pra lembrar (e terminar)...

    ...o governo morrido enterrado te levou junto pra debaixo da terra. Você engasgou na hora da última pesquisa. Você nem gritou “FORA” quando um desses sistemáticos caras da turma estupravam tua mãe, pátria.

    Ou quantas mães você acha que terá pela frente?

     

    rebecca nf



    Escrito por rebecca às 09:43:32
    [ ] [ ]



    chegou!

    Há alguns anos era a Esquerda Festiva. Hoje a Elite Golpista. Amanhã, ajuda aí, Anarquistas Encantados ou Intelectuais de Araque, Burguesia (pobre) Traidora ou Classe C Vingativa (essa eu vou guardar pros meus netos!). O que irrita é ser rotulado e ter menos espaço no horário nobre da tevê ou na capa do jornal pro tal direito de resposta. Irrita ter que engolir a seco o crescimento da economia enquanto a discussão (aqui) é pela saúde, educação e segurança públicas! Aí fica sentadão com cara de tacho, algo como um morter, na Catalunha. E o nó na garganta vira gastrite desse jeito. Ele e a sangria da Catalunha! A Eliteira Golpista aqui, só quer saber quando alguém vai ensinar o Joãozinho que está no quarto ano do Ensino Fundamental a ler o gibi da Mônica porque o Joãozinho só sabe ler Jo-ão-zi-nho e, me contou sua mãe, que não é problema na vista. Porque se o Joãozinho não aprender este tipo de coisa o pai da Mônica vai continuar sendo alvo de seqüestros e a mãe do Joãozinho vai continuar doente na fila. E a gente vai continuar engolindo as mentiras do horário nobre e não vai ter o direito de resposta e vai virar a Classe C Vingativa, que um dia terá sido a Elite Golpista que já foi a Esquerda Festiva e vai morrer de úlcera pois a gastrite, esta sim, já terá evoluído.

     

    rebecca nf

    texto que também está na edição de Maio do Jornal da Praça - o mesmo do link da esquerda (do blog)



    Escrito por rebecca às 06:29:06
    [ ] [ ]




    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]